Análise do juice The Piña Colada Song – Radiola


Seguindo na sequência de juices da Radiola, vamos analisar hoje o The Piña Colada Song e como o próprio nome já diz, é um juice de Piña Colada, a tradicional bebida tropical feita com rum, abacaxi e coco.

Já falamos em detalhes sobre a Radiola neste artigo e se quiser saber quais métodos utilizamos para nossas análises clique aqui.

Sabor e Vapor


Começamos como sempre com a descrição oficial do juice:

Nossa versão vaporável do clássico drink de Porto Rico, traz o equilíbrio perfeito do abacaxi e rum na tragada com creme de coco em seu suave e refrescante exalar. Frescor que lhe faz viajar a uma ilha paradisíaca diante do mar azul turquesa.

A canção a qual o juice foi inspirado foi trazida de volta às paradas de sucesso pelo filme “Guardiões da Galáxia” que reapresenta músicas clássicas dos anos 80. A música é uma animada balada com um irônico “plot twist” que conta a história de um casal que cai na rotina quando o marido responde à um anúncio pessoal no jornal cuja dama diz “gostar de Piña Coladas e de quando é pega de surpresa por uma chuva”, ao chegar no local combinado do encontro descobre que a misteriosa dama é na verdade sua própria esposa. É uma história sobre redescoberta, sobre ironia e sobre como às vezes buscamos o que já temos bem à nossa frente.

Músicas à parte, via de regra uma tradicional Piña Colada leva rum, abacaxi e leite de coco, sendo uma bebida Porto Riquenha cuja tradução literal é “Abacaxi coado”. Todas as Piñas Coladas que já provei sempre foram bem doces, pungentes, uma bebida que muitos podem considerar enjoativa, mas é de sua característica ser bem doce.

Isso não acontece com o The Piña Colada Song, que acaba não acompanhando a premissa que caracteriza a bebida, sendo muito mais suave. Para muitos isso será algo positivo pois Piña Colada não é uma bebida para ser tomada todo santo dia, já neste juice o sabor pode muito bem se tornar um all day.

Apesar disso não posso deixar de comentar que essa suavidade acaba contrastando com a coisa real e fico um pouco frustrado por isso, eu pessoalmente iria preferir ter um juice encorpado e bem mais doce que fosse indicado para alguns momentos específicos do que mais uma possibilidade de all day nessa aposta de maior suavidade. Entendo perfeitamente a decisão comercial da marca pois esta escolha provavelmente será aceita por mais pessoas do que o contrário.

Ao se vaporar o sabor é definido pela tropicalidade da proposta, tem tudo a ver com sol, praia, verão e mar. É comum receitas com essências de coco receberem nuances um pouco secos, criando uma sensação semelhante ao bourbon, é característica da própria essência e isso realmente acontece com o The Piña Colada Song, mas é algo sutil e que contribui para o conjunto da obra tornar-se algo agradável. 

A experiência toda vai desde cítrico do abacaxi, passando pela doçura meio seca do coco e finalizando em uma refrescância que beira ao mentolado, cuja assinatura deixa a sensação caribenha mais completa.

O blend de 70% VG e 30% PG é para mim o mais acertado para a maioria dos juices e o equilíbrio ideal entre vapor, viscosidade e propagação de sabor.

Experiência e conclusão


The Piña Colada Song é um excelente juice tropical com sabor de Piña Colada que pode ser vaporado a qualquer hora por conta de sua suavidade.

Dito isso, ainda assim gostaria de ter sentido muito mais doçura e pungência, algo que realmente me lembrasse de uma verdadeira Piña Colada e parte dessa experiência é ter sabores muito mais fortes e presentes, que beiram ao enjoativo. Sei que neste caso eu provavelmente sou minoria e você vai preferir que o The Piña Colada Song continue exatamente como está.

Como a própria música já diz, quem sabe eu esteja procurando algo que já está bem na minha frente?